Inserções


A inserção de letreiros é frequentemente associado à pós-produção, porém é um recurso também obtido na captaçãopara introduzir um elemento em uma continuidade. No cinema, geralmente, trata-se de um primeiro ou primeiríssimo plano, ou de um plano de natureza diferente (créditos ou um texto introduzido na continuidade visual, por exemplo).

Irreversível (FRA, 2002), dirigido por Gaspar Noé

Irreversível (FRA, 2002), dirigido por Gaspar Noé

Uma das inserções mais utilizadas é a não diegética, que se expõe na forma de letreiros ou créditos. Irreversível (2002), escrito e dirigido por Gaspar Noé, é um exemplo de filme que se utiliza desse tipo de inserção. Os créditos iniciais aparecem em ordem reversa e espelhada, já situando o espectador do iminente caos que o enredo abordará. Você pode ver como esses letreiros são exibidos no nosso Twitter aqui.

Psicopata Americano (USA, 2000), dirigido por Mary Harron

Psicopata Americano (USA, 2000), dirigido por Mary Harron

A inserção explicativa ocorre quando um objeto é extraído de um espaço e colocado em outro plano de abstração. Cartões de visita ou cartas em primeiro plano são os exemplos mais recorrentes. A clássica cena dos cartões de visita em Psicopata Americano (2000), dirigido por Mary Harron, é um exemplo desse modelo de inserção. Assista à cena aqui.

Ela (EUA, 2013), dirigido por Spike Jonze

Ela (EUA, 2013), dirigido por Spike Jonze

Ela (EUA, 2013), dirigido por Spike Jonze

Outro tipo de inserção é a subjetiva, quando uma imagem é apreendida de maneira ausente pelo herói da ação. As formas mais utilizadas neste caso são flashbacks e fast-forwards. O filme Ela (2014), com roteiro e direção de Spike Jonze, utiliza-se de inserção subjetiva nos momentos quando o protagonista Theodore (Joaquin Phoenix) relembra da época quando esteve casado. Você pode assistir a um desses flashbacks aqui.

45 Dias Sem Você (BRA, 2018), dirigido por Rafael Gomes

45 Dias Sem Você (BRA, 2018), dirigido por Rafael Gomes

45 Dias Sem Você (BRA, 2018), dirigido por Rafael Gomes

45 Dias Sem Você (2018), dirigido por Rafael Gomes, utiliza-se de narrativa multitelas nos momentos quando os personagens interagem via celular. Esse é um tipo de inserção diegética deslocada, quando uma imagem – embora perfeitamente normal – é tirada da sua colocação fílmica normal e inserida, intencionalmente, numa montagem. Veja a cena aqui.


4 Filmes com Inserções

1. Psicopata Americano, Mary Harron (USA, 2000)

2. Irreversível, Gaspar Noé (FRA, 2002)

3. Ela, Spike Jonze (EUA, 2013)

4. 45 Dias Sem Você, Rafael Gomes (BRA, 2018)

5 visualizações